Magistrados fazem acrobacias e equilibrismo no Circo Crescer e Viver

Moradores, empresas, organizações sociais e poder público se unem em pacto pelo desenvolvimento da Cidade Nova e adjacências
19 de janeiro de 2020
Prefeitura do Rio entrega Ordem do Mérito Cultural Carioca ao Circo Crescer e Viver
22 de janeiro de 2020
Magistrados do Trabalho participaram de atividades no Circo Crescer e Viver. Divididos em três grupos, eles superaram desafios ao caminhar sobre pernas de pau, fazer malabarismos com bolas e saltar nos aparelhos acrobáticos.

Como parte da 10° Fórum Gestão Judiciária, na última quinta-feira (16), cerca de 40 magistrados da Justiça do Trabalho, entre eles, juízes de desembargadores, participaram do Circo Corporativo – uma experiência lúdica de team building desenvolvida pelo Circo Crescer e Viver para para estreitar laços de cooperação, fortalecer o trabalho em equipe, despertar a criatividade, vencer medos e potencializar a comunicabilidade, visando qualificar as relações de trabalho, melhorar o desempenho, estimular a integração, promover o bem-estar e, consequentemente, desenvolver pessoas.

O juiz auxiliar da Escola Judicial, Roberto Fragale, afirmou que o objetivo do Fórum ao propor a oficina foi aproveitar o aspecto lúdico das atividades que contribuem com noções de alteridade e possibilitar momentos de interação diferentes aos colegas de Tribunal.

“Pudemos exercer a confiança um no outro, conversamos e convivemos por muito mais tempo do que faríamos no cotidiano, embora sejamos vizinhos nas varas do Trabalho. Pensamos em proporcionar as ligações de integração e de percepção do que é solidariedade e esforço coletivo na prática”, disse Fragale.

O diretor da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1a Região (AMATRA1) Munif Saliba Achoche contou sempre ter tido vontade de fazer exercícios circenses. “Achava o máximo ver as pessoas andando na perna de pau e pensava ser quase impossível. Mas, em pouco tempo, consegui fazer também – com um pouco de receio no início e caindo, mas é assim que se aprende. A arte e a cultura nos ajudam tanto no trabalho quanto na vida.”

Cofundador e presidente do Crescer e Viver, Junior Perim explicou que a prática favorece o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e criativas por meio do contato com os outros participantes e do uso do corpo e espaço como forma de criação.

“O projeto aplica a metodologia dentro do universo institucional trazendo as pessoas para o circo. O objetivo é que os participantes vivenciem o senso de responsabilidade coletiva, confiança e trabalho em equipe, superação de desafios e alcance de metas”, completou Vinicius Daumas, cofundador e coordenador artístico e pedagógico.

Lais Ribeiro, diretora da AMATRA1, apoiou a inclusão do circo no Fórum Gestão Judiciária. “Foi uma ideia incrível. Proporcionou uma experiência divertida, desafiadora, agregadora e com atividades que exigem um grande esforço físico e mental dos profissionais que atuam no picadeiro. São verdadeiros guerreiros”, afirmou a magistrada.

Para a juíza Luciana Gonçalves de Oliveira Neves, foi prazeroso conseguir vencer os desafios e medos de algumas atividades como conseguir andar na perna de pau e fazer cambalhotas. “Também foi um momento de lidar com os colegas de forma muito diferenciada, porque nosso dia a dia acaba sendo muito solitário. No circo, todos tentaram se ajudar, dando dicas da melhor forma de fazer cada exercício e tentando vencer os desafios”, disse.

A juíza Patrícia Lampert, diretora da associação, afirmou que o dia no picadeiro do Crescer e Viver superou suas expectativas. “A oficina deu uma leveza muito boa por serem atividades lúdicas e mudar completamente o ambiente e nossa rotina. Foi muito importante, principalmente por poder participar confraternizando com os colegas. A atividade nos conectou muito com a noção de confiança pessoal e no outro, em poder receber e dar ajuda.”

CLIQUE AQUI para saber mais sobre o Circo Corporativo ou entre entre em contato pelo ZapDoCirco: + 55 21 99337-8272